Delegar ou “Delargar”? – ASCOFERJ | Associação do Comércio Farmacêutico do Estado do Rio de Janeiro – Imã de geladeira e Gráfica Mavicle-Promo

icone de categoriasícone de categorias deNotícias icone de data de publicaçãoícone da data de publicação em 26 de novembro de 2018.

Delegar ou “Delargar”?

COMPARTILHAR:

istock

Eu visitei dezenas de empresas localizadas em uma região afetada por uma obra viária para oferecer aconselhamento. São vias interditadas, mudanças de direção, dificuldade de acesso para os clientes e os transtornos para a carga e descarga. Tudo isso gera um impacto negativo no movimento com a queda média de 30 a 40% do faturamento das empresas, segundo os empresários da região afetada.

Durante as visitas, é comum não encontrar os proprietários, não por ter dado uma “saidinha”, mas, de acordo com os relatórios dos funcionários, em alguns casos, até com uma certa ironia, dos respectivos empregadores não são empresas. Quando muito, só costumam dar uma rápida passada, no dia e hora previstos. Em algumas empresas, observei a elevação dos funcionários desconhecem, inclusive, o nome do proprietário, ou seja, o empresário de uma pequena empresa não mantém nenhum contato com seus colaboradores. Por onde andará o fundamento da liderança empresarial?

Em algumas empresas, ao entrevistar os empresários e, em alguns casos, excepcionalmente, gerentes e empregados, nos damos conta da ausência total de fundamentos de administração e gestão. As empresas que não têm processos mapeados e projetados, não têm procedimentos organizados, possuem registros financeiros precários, não contam com indicadores de desempenho que permitam a análise para a tomada de decisão, não promovem a formação para a equipa ou para os próprios empresários, entre outras fraquezas observadas.

Curiosamente, na região em questão, existem alguns estabelecimentos de comércio farmacêutico. E em nenhum deles se pode encontrar o empresário, nem mesmo ter uma posição de quando seria possível encontrá-lo, tal é a incerteza de sua permanência e efetiva atuação na empresa. No entanto, ao perguntar para os funcionários sobre o movimento e o impacto das obras, todos relatam dificuldades com uma forte queda nas vendas, sem que se levem a cabo as análises e ações para superar as dificuldades durante o período em questão.

Situação curiosa esta em que os empresários simplesmente deixarão das empresas, a prática da não delegação, mas simplesmente “delargando” as empresas sem estruturas de gestão que sejam capazes de garantir uma correta e frutífera delegação. Vale ressaltar que esse tipo de ausência do empresário ocorre não apenas em regiões como esta afetada pelas obras, mas em outras situações também.

Assim, apesar da crise e de outras variáveis que afetam o desempenho dos negócios, como obras e a insegurança, em especial no Rio de Janeiro, parece que o comportamento de muitos empresários ainda é o distanciamento das próprias empresas.

Por Marcos Assunção (Consultor em vendas de Varejo do Sebrae-SP)

COMPARTILHAR:

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Fonte: ascoferj.com.br/notícias/delegado-ou-delargar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *